Várias foram as razões e boas intenções para realizarem cruzamentos entre duas espécies diferentes. Muitas tentativas e experiências de hibridização foram realizadas desde 1800, mas os créditos foram dados a Mrs. Jean Sugden Mill, do Gatil Millwood, localizado na Califórnia, devido ao fato de ser o primeiro projeto de hibridização bem documentado e do qual originou a raça Bengal. Ela fez um árduo trabalho para o reconhecimento oficial desta maravilhosa raça. Nos anos '60, Jean Mill cruzou uma fêmea de Leopardo Asiático com um gato doméstico preto e de pêlo curto. Ela colocou o gato doméstico com a fêmea de Leopardo Asiático para que esta fêmea não se sentisse tão solitária.Algum tempo depois veio a grande surpresa com o nascimento de dois filhotes, sendo que somente a filhote fêmea sobreviveu.
Ela então foi batizada com o nome " Kinkin ". Tempos depois, Jean cruzou  "Kinkin " com o seu pai, o gato doméstico preto e mais uma surpresa: nasceram filhotes pintados e filhotes pretos! Por motivos particulares, Jean Mill abandonou o trabalho já iniciado e não se conhece nenhum Bengal que seja procedente deste primeiro trabalho realizado.

      No início dos anos '70, William Engler também realizou alguns cruzamentos entre Leopardos Asiáticos e gatos domésticos. Ele trabalhou principalmente com gatos de primeira geração (F1), mas não se conhece nenhum Bengal originário destes cruzamentos. O nome oficial da raça, BENGAL, é derivado do nome científico do Leopardo Asiático (Prionailurus bengalensis ou Felis bengalensis). Ainda nos anos '70, um geneticista, Dr. Willard Centerwall, estava cruzando Leopardos Asiáticos com gatos domésticos na tentativa de encontrar o gene que os tornavam imunes à leucemia felina.Algum tempo depois, ele suspendeu as pesquisas e doou algumas fêmeas de primeira geração (F1) para Mrs. Jean Mill. Desta forma, ela obteve as primeiras F1 descendentes do Leopardo Asiático conhecido como "Centerwall ALC" com fêmeas domésticas de pêlo curto. As mais notáveis e conhecidas foram Millwood Praline, Millwood Pennybank e Millwood Rorschach. Todos os pedigrees do Gatil Millwood mostram estes gatos e também, muitos dos Bengals existentes no mundo descendem destes cruzamentos originais com o Leopardo Asiático "Centerwall".


       Em 1984, em uma viagem à Índia, Jean Mill importou um bonito gato doméstico que possuía rica coloração alaranjada com pintas e rosetas muito escuras para ser usado em um novo programa de criação e desenvolvimento da raça, com o objetivo de introduzir uma nova e diferente linha de sangue. Este gato se tornou muito conhecido e foi chamado de "Millwood Tory of Delhi", sendo usado na reprodução principalmente com as fêmeas de primeira geração (F1)." Delhi " teve uma notável contribuição para a raça com a sua magnífica cor, pequenas pintas escuras e distintas distribuídas por todo o corpo, pelagem dourada e brilhante , além de belos olhos verdes.


      O objetivo do programa de criação do Bengal é o de criar um gato doméstico com características semelhantes às dos felinos selvagens,porém imprimindo um temperamento afável, confiável e ameno, típico nos gatos domésticos.


       O Bengal é uma curiosa, maravilhosa e nova raça de gato doméstico que originou-se de um projeto de hibridização entre o Leopardo Asiático e várias raças de gatos domésticos tais como Abissínios, American Shorthair, Burmese, Egyptian Mau ,Ocicat e outras. O Bengal é o resultado de esforços de muitos criadores para ajudar a salvar felinos selvagens ameaçados de extinção e que eram freqüentemente expostos à venda em lojas ou até mesmo clandestinamente. A intenção foi produzir um gato doméstico com características próximas às de seu ancestral selvagem, mas com um super temperamento e de fácil adaptabilidade. A grande vantagem do desenvolvimento desta raça, é permitir que as pessoas tenham em casa um lindo gato de aparência selvagem e, conseqüentemente, diminuir o comércio ilegal de espécimes nativos. Através de cruzamentos programados criteriosamente, os criadores estão atentos ao bom temperamento da raça, assim como a preservação das características desejadas. Desta forma, eles se tornaram muito conhecidos, verdadeiramente domésticos e são registrados e exibidos em várias associações.


      As três primeiras gerações oriundas de cruzamentos de Leopardos Asiáticos e gatos domésticos, são chamadas e conhecidas como Bengals de fundação, ou seja, base da raça (F1, F2 e F3). O Bengal (SBT) passa a ser aceito para competições e campeonato, após a quarta geração ou mais de cruzamentos de Bengal com Bengal. Os machos de primeira geração são sempre estéreis, sendo observada a esterilidade em machos de segunda e terceira geração. Estes também podem ser férteis por um curto período de tempo ou até mesmo apresentar alternância de fertilidade. As fêmeas das três primeiras gerações (F1, F2 e F3) são normalmente férteis, mas foi observado que fêmeas de segunda geração (F2) são menos férteis do que as fêmeas de primeira (F1) e terceira gerações (F2). Os Bengals de quarta geração ou mais, apresentam um temperamento e comportamento completamente confiável e igual às demais raças de gatos domésticos. Sua interação com o ser humano é incrível, adorando conviver com crianças, adultos e até mesmo com outros animais domésticos.


       Nós acreditamos que os Bengals são os gatos perfeitos para satisfazer o desejo de várias pessoas de ter e conviver com um exótico felino pintado.
Eles são extremamente exóticos, muito inteligentes, confiantes, alertas, ativos e muito amigáveis. É impossível não se encantar com esses gatos, pois parecerem "mini-leopardos" com a sua pelagem curta, espessa, luxuosa e extremamente suave ao toque. Além disso, as cores e os padrões das marcações são fascinantes. Os Bengals variam em cores, padrões (veja Colors and Patterns) e tamanho. De tamanho médio a grande e semelhante ao de um gato doméstico, os machos podem pesar entre 5 e 7 kg e as fêmeas são normalmente menores. A princípio, a maior dedicação e atenção dos criadores de Bengals está voltada para as cores e marcações, não se preocupando tanto com o tamanho. A conformação natural dos Bengals, lhes confere uma aparência selvagem, com um corpo longo e substancial, muito musculoso e bem balanceado, apresentando os membros posteriores ligeiramente maiores que os membros anteriores. A cabeça é longa e apresenta uma expressão distinta dos demais gatos domésticos, com orelhas pequenas e arredondadas, intensas marcas faciais e olhos ovais ou ligeiramente amendoados.


       A primeira associação de criadores de gatos de raça a aceitar os registros dos primeiros Bengals foi a TICA no início dos anos '80. Somente na década de 90, através de muitos esforços e dedicação de vários criadores, é que a raça foi reconhecida e admitida para competições e campeonato. A partir daí várias outras associações passaram a reconhecer oficialmente a raça, tais como: The Canadian Cat Association (CCA) , FIFe ( Fédération Internationale Féline) , United Feline Organization (UFO) , American Cat Fanciers Association (ACFA), The Governing Council of the Cat Fancy (GCCF) e muitas outras em vários países.


       No Brasil, o pioneiro na criação de Bengals foi o Sr. Marco Beja, do Gatil Charmant, localizado na cidade do Rio de Janeiro e a raça foi introduzida em julho de 1995. Marco Beja importou dos Estados Unidos todos os seus Bengals e fez um belo trabalho de criação e divulgação da raça. Através de diversas participações em matérias sobre os Bengals em revistas especializadas e em exposições, Marco Beja fez com que os Bengals se tornassem conhecidos e apreciados pelos brasileiros. Seus gatos foram muito significativos para o desenvolvimento da raça em nosso país. Os primeiros Bengals que chegaram aqui foram Belltown Brian of Charmant, Cedarwood Mildred of Charmant, Windridge Sophie The Mini Leopard, Trendar John Lennon of Charmant and Maximillian Dois of Charmant.


       Nossos primeiros Bengals foram originários do Gatil Charmant e algum tempo depois, por motivos particulares, Marco Beja interrompeu o seu programa de criação e nos presenteou com todos os seus maravilhosos Bengals. Nós somos muito agradecidos por isto, porque nos deu a oportunidade de começarmos um intenso e dedicado trabalho com esta magnífica raça. Mais uma vez, gostaríamos de agradecer aos nossos amigos Sr. Marco Beja e sua mãe, Sra. Irinéa! Nós iremos sempre lembrar de vocês com muita estima e carinho!


       O Gatil Bungalow tem trabalhado com as melhores e mais conhecidas linhagens e agora, a grande maioria de nossos gatos são originários do Gatil Millwood, de propriedade de Mrs. Jean Mill, localizado na Califórnia - U.S.A. e também conhecido como "A Casa Original do Gato Bengal". Uma ocasião, Mrs. Jean Mill chamou Cleber Delázari de "The Mr. Bengal of Brazil" . Para ele, isto foi uma honra! Portanto, o Gatil Bungalow é chamado e conhecido como "A Casa do gato Bengal no Brasil"!

 

 

Uma foto histórica: Mrs. Jean S.Mill, em 1964, com a F1 "Kin Kin"
Foto: Gatil Millwood

 



 







Copyright©2003 - Bungalow Bengals -Todos os direitos reservados.
Webmaster: HCAT